LÍRIOS DOURADOS

"Tinha a minha avó dois anos quando lhe enfaixaram os pés. Começaram por lhe enrolar à volta dos pés uma uma tira de pano com cerca de seis metros de comprimento, dobrando todos os dedos, excepto o grande, para dentro e para baixo da planta. Depois puseram-lhe uma grande pedra em cima para esmagar o arco. O processo demorava anos. Mesmo depois de os ossos terem sido partidos, os pés continuavam enfaixados dia e noite. Naquele tempo, quando uma mulher casava, a primeira coisa que a família do noivo fazia era examinar-lhe os pés. Uns pés grandes, quer dizer normais, traziam vergonha para a casa do marido. O costume de enfaixar os pés foi introduzido na China há cerca de mil anos, segundo se diz, por uma concubina do imperador. Além da visão das mulheres a coxear sobre pés minúsculos ser considerada erótica, os homens excitavam-se a acariciar os pés enfaixados que permaneciam sempre escondidos nuns sapatinhos de seda bordada. Os homens raramente viam os pés nus que estavam geralmente cobertos de carne apodrecida e exalavam um cheiro horroroso quando se retiravam as faixas. As dores eram constantes provocadas não só pelos ossos partidos, mas também pelas unhas que cresciam para dentro das pontas dos dedos. Esta prática só foi abandonada por volta de 1917".
Do romance "Cisnes Selvagens - Três Filhas da China", de Jung Chang

2 comentários:

Conceição Duarte disse...

Muito difícil de enteder um costume torturante desses.

Um beijo, CON

roserouge disse...

Sempre achei esse povo meio estranho. Já para não falar que comem cães e gatos. Também li esse livro.